Questionamentos e indicações

05/12/2009

As impressões e questões que se seguem são fruto da participação comunitária no 1º Encontro da Rede Local de Enfrentamento ao Uso Abusivo de Drogas Lícitas e Ilícitas.

As indicações já estão de posse dos grupos de trabalho com vistas às iniciativas a serem encetadas.

Os questionamentos foram encaminhados a profissionais aptos a respondê-los e merecerão postagem específica neste blog.

1º ENCONTRO – ENFRENTE

QUESTIONAMENTOS E INDICAÇÕES

Nome : Maria Elizabeth Forte da Silva

Cargo: SMSDC (P S M A A)

Comunidade: Conjunto Gouveia

Questionamento:

Minha filha estuda em escola particular, tem 10 anos, gostaria de saber como ela pode participar do PROERD?

(Questão encaminhada à Coordenação do PROERD (*))

Nome: Quaramira

Cargo: Presidente

Comunidade:  Sepetiba

Instituição: ONG Sara

Questionamento:

Gostaria de Saber como a ONG poderia fazer parte do programa PROERD. Eu como participei do PAN 2007 – fiz o curso PROERD.

(Questão encaminhada à Coordenação do PROERD)

Indicação:

Que o grupo de divulgação das ações locais entre em contato com a coordenação da UNICEF para unir os trabalhos já que na Zona Oeste está contrantrado IGGAL dos que foram formados no RJ  (município) Telefone: 38520080 – Transergio.

Nome: Ângela de Mendonça

Órgão: Casa de Magia Justiça e Amor  Cargo: Membro

Comunidade: Sepetiba

Questionamento:

Um Menor pode tomar um pouco de cerveja do copo dos Pais? Isso pode ajudar a consumir outros tipos de drogas? Indicação: Fazer palestras ao uso abusivo de drogas em escolas particular.

(Questão encaminhada à Coordenação do PROERD)

Nome: Rosangela de Alcântara

Órgão: CIEP 10.19.502 Maestro Heitor Villas Lobos

Cargo: Professora

Comunidade: Conjunto Antares

Questionamento:

Minha escola fica dentro do Conjunto Antares e trabalhamos até o 5º ano em horário integral. Quando nossos alunos precisam mudar para escola co 6º ano acabamos perdendo-os para o tráfico. Como podemos trabalhar com a PROERD? Vocês vão à escola ou os alunos terão que sair da escola e/ou comunidade?

(Questão encaminhada à Coordenação do PROERD)

Nome: Mauricio Ferreira Borges

Órgão: Mídia Comunitária

Comunidade: Zona Oeste

Cargo: Agente Administrativo

Questionamento:

Qual a garantia real de que todos os trabalhos realizados neste fórum (enfrente as drogas) terão resultados positivos e benefícios a população de nossa região, ditos documentos e ações reais.

(Questão encaminhada à Coordenação da Rede)

Nome: Eduardo Nunes de Lima

Órgão: Associação Moradores Amigos da Bela Vista

Cargo: Presidente

Questionamentos:

Senhorita Sandra, o que  a CAS do estado está fazendo para que a clinica de tratamento de drogas Michelle volte a funcionar?

Dr Márcia Passarelis. Penso eu que uma esplanação desta natureza deveria ser feita em toda comunidade carente 2 vezes por mês, com todo apoio da prefeitura e do estado, com grupos de pessoas daquela comunidade .Com a mesma estrutura que está aqui.

Indicação:

Grupo das divulgações locais e municipais

(Questões encaminhadas às profissionais mencionadas)

Nome: Cesar Bastos

Órgão: INTERPAZ

Cargo: Coordenador

Questionamentos:

Após a apreensão das armas, qual o destino dado às mesmas?

Qual o órgão responsável pela distribuição e quem faz o controle e a supervisão?

(Questões encaminhadas à Polícia Militar)

Nome: Márcia Barbosa Raphael

Órgão: ADEFESA – Associação Democrática de Festejos Sociais do Alagado

Cargo: Vice- presidente

Comunidade: Sepetiba – Alagado

Questionamento:

0,8% da população é usuária de drogas ilícitas, porém 8% dessa mesma população é usuária de drogas licitas. Por que tão pouco se fala de drogas lícitas?

Fala-se tanto em exclusão social, quando se colocam trabalhos somente na rede pública, se exclui jovens e crianças que não estão nela. Não há problemas de drogas na rede particular? Criança é criança em qualquer rede que ela se encontre. O foco tem que ser ampliado.

(Questões encaminhadas à Coordenação da Rede)

Nome: Alex Evangelista Mendes Silva

Órgão: ONG Ser Sempre Refazendo

Cargo: Secretario Executivo

Comunidade: Campo Grande

Questionamento:

Parabenizo o trabalho realizado pela PROERD, e gostaria de saber sobre a receptividade e procura das comunidades de ensino privado, se há resistência?

(Questão encaminhada à Coordenação do PROERD)

Indicação:

Criação de espaço para atendimento ambulatorial que realmente funcionem trabalhando em parceria com as unidades de ensino público e privado em todos os níveis , promovendo o tratamento e a prevenção, inclusive para familiares. Fazendo valer a lei 6368/63

Nome: Helena Pereira de Souza

Órgão: B.  União de Nova Sepetiba

Cargo: Diretora Social

Comunidade: Nova Sepetiba

Questionamento:

Como este grupo de trabalho vai ter Segurança para esse trabalho na sua comunidade para que trabalhe em sua comunidade com os adolescentes já marginalizados?

(Questão encaminhada à Coordenação da Rede)

Nome: Rosane Nunes da Conceição

Órgão: 10.19.017 Otelo de Souza Reis

Cargo: Servente

Comunidade: Antares

Questionamento:

Como podemos lidar com essas crianças, se a realidade delas é essa (droga, abandono,necessidades básicas); algumas já se prostituem em troca de algum dinheiro. Como orientá-las e ajudá-las?

(Questão encaminhada à Coordenação do PROERD)

Nome: F.R.O.

Comunidade: Santa Cruz

Questionamento:

Como fica o controle ou combate ao estica que vem ocorrendo dentro dos condomínios da Caixa Econômica (PA), que estes são condomínios fechados e não permitem a entrada da PM e nem o patrulhamento dentro destes condomínios, pois as  drogas estão lá dentro?

Por que a PROERD não está fazendo este trabalho nas escolas particulares? Está havendo exclusão nos adolescentes destas instituições. Seria Extraordinário que isto viesse a ser implantado.

(Questão encaminhada à Polícia Militar)

Indicação:

Organização de palestras , encontros e fórum

Nome: Cristiane B. Rodrigues

Órgão:  ILE ASE IGBA OSOOSI ATI OSUN

Cargo: AJOYE

Comunidade: Paciência – 7 de Abril

Questionamento:

Com relação aos locais de atendimentos citados, quais são os critérios para encaminharmos os dependentes químicos a essas instituições?

(Questão encaminhada à Coordenação da Rede)

Nome: Ana Paola dos Santos

Órgão: AMASA

Cargo: Vice Presidente

Comunidade: 7 de Abril – Paciência

Questionamento:

Com relação aos locais de tratamento aos dependentes químicos, o tratamento é realizado em forma de Internação ou livre?

(Questão encaminhada à Coordenação da Rede)

Nome: Lizete Manja

Órgão: ONG – CEMAS, GAPZO e CAMARA COMUNITARIA

Cargo: Secretaria, Coordenadora

Comunidade: Santa Cruz e Sepetiba

Questionamento:

Qual tratamento que está sendo dado aos profissionais que são usuários das drogas?

(Questão encaminhada à Coordenação da Rede)

Nome: Dévola Taís Dias Romano

Órgão: SMPD – RBC (Secretária Municipal da Pessoa c/ Deficiência – Reabilitação Baseada na Comunidade.

Comunidade: Santa Cruz

Questionamento:

Gostaria de Saber se alguém tem informações sobre o Fórum de saúde mental em Santa Cruz e também sobre o Fórum de reabilitação em Santa Cruz.

(Questão encaminhada à Coordenação da Rede)

Nome: Ana Lúcia Melorio Azevedo

Órgão: GRES.  Acadêmicos de Santa Cruz

Cargo: Vice –presidente

Comunidade: Barreira – Santa Cruz

Indicação:

Para palestras com jovens e familiares, se precisarem de espaço, GRES e Associação de Moradores da Barreira.

(*) PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas.

Anúncios

1º Encontro

28/11/2009

Mais de 100 pessoas estiveram presentes no auditório da Faculdade Machado de Assis (FAMA) em 27/11/09, por ocasião da realização do 1º Encontro da Rede Local de Enfrentamento ao Uso Abusivo de Drogas Lícitas e Ilícitas, fruto de iniciativa aprovada pelo Conselho Comunitário de Segurança de Santa Cruz, Paciência e Sepetiba.

Os presentes assistiram à apresentação dos objetivos e da metodologia de trabalho da Rede Local, feita pelo Pres. do Conselho Comunitário de Segurança, Paulo Mendonça, seguida da falação da Psicóloga Sandra Mendes, do Centro de Atenção Psicossocial 5.3, acerca  do trabalho já realizado pela Comissão de Enfrentamento ao Crack .

Em seguida, a palavra foi passada ao TC Marcos Alves, Cmt do 27º BPM, o qual deu ênfase ao trabalho desenvolvido pelo Batalhão e às consequências desastrosas da relação entre drogas e armas.

O PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas) exibiu os resultados das ações implementadas nas escolas da região.

As “Escolas do Amanhã” mereceram destaque durante o evento, cuja exposição ficou a cargo da 10ª Coordenadoria Regional de Educação.

Os danos provocados pelas drogas aos usuários, seus familiares e à sociedade em geral foram expostos pela Psicóloga Márcia Passarelis.

A concepção de que todos somos responsáves pela conquista de cenário social menos preocupante

e de que juntos podemos realmente fazer algo a respeito

foi lugar comum durante as apresentações.

Em breve, a constituição dos grupos de trabalho, indicações e questionamentos arrecados durante o evento serão alvo de exposição neste blog, dando lugar às outras iniciativas a serem adotadas com vistas à minimização dos problemas derivados das drogas em Santa Cruz, Paciência e Sepetiba.

1º Encontro da Rede Local de Enfrentamento ao Uso Abusivo de Drogas Lícitas e Ilícitas

20/11/2009

Data

27/11/2009

Horário

8 às 13 horas

Local

Faculdade Machado de Assis (FAMA)

Auditório

Praça Marquês de Herval, 4 – Santa Cruz

(clique no mapa e saiba como chegar)

Objetivos

– Discutir, encaminhar propostas e implementar serviços e políticas públicas de combate ao uso abusivo de drogas;

– Possibilitar o envolvimento de diferentes atores sociais e da rede de serviços da região de Santa Cruz, Sepetiba e Paciência na construção de serviços no combate ao uso abusivo de drogas;

– Organizar a construção de grupos de trabalho continuados com vistas ao combate do uso abusivo das drogas.

Programação

8h às 8:45 – Credenciamento, entrega do material e café

8:50 – Abertura e apresentação da proposta do encontro e da comissão

9:15 –  Apresentação do trabalho que a então comissão de enfrentamento ao crack vem desenvolvendo desde abril/09

(Psicóloga Sandra, do Centro de Atenção Psicossocial 5.3)

9:40 –  Diagnóstico da atuação da PM em relação à questão

(Comandante do 27º BPMERJ, Ten Cel Marcos Alves)

10:05 –  PROERD

(Programa Educacional de Resistência às Drogas)

10:25 –  Apresentação sobre o uso de drogas

(Psicóloga Márcia Passarelis)

10:50 – Apresentação do Programa “Escola do Amanhã”

(10ª Coordenadoria Regional de Educação)

11:15 – Leitura das indicações feita pela plenária

12:25  – Definição dos grupos permanentes de trabalho e entrega dos certificados de participação

13:00 – Encerramento

Grupos de Trabalho permanentes a serem criados

– Acompanhamento da criação da rede de combate ao uso abusivo;

– Implementação de campanhas de orientação a crianças e jovens;

– Mapeamento das ações de enfrentamento;

– Organização de palestras e encontros, e

– Divulgação das ações locais, regionais e municipais.

Realizadores

Conselho Comunitário de Segurança – AISP 27;

Conselho Distrital de Saúde da AP 5.3;

Conselho Tutelar 10;

10ª Coordenadoria de Assistência Social;

10ª Coordenadoria de Educação;

10ª Coordenadoria de Saúde;

14ª Inspetoria de Guarda Municipal;

27º Batalhão de Polícia Militar, e

Grupamento de Guardas Comunitários de Sepetiba.